Laboratório de Química do Estado Sólido
 LQES NEWS  portfólio  em pauta | pontos de vista | vivência lqes | lqes cultural | lqes responde 
 o laboratório | projetos e pesquisa | bibliotecas lqes | publicações e teses | serviços técno-científicos | alunos e alumni 

LQES
lqes news
novidades de C&T&I e do LQES

2019

2018

2017

2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

2009

2008

2007

2006

2005

2004

2003

2002

2001

LQES News anteriores

em foco

hot temas

 
NOVIDADES

L’ORÉAL premia sete cientistas brasileiras na 13ª edição do “Para Mulheres na Ciência”.

Nesta quinta-feira (04/10/2018), a nova sede da L’Oréal Brasil, no Porto Maravilha, foi palco da premiação da 13ª edição do “Para Mulheres na Ciência”, programa desenvolvido pela L´Oréal Brasil em parceria com a UNESCO no Brasil e a Academia Brasileira de Ciências (ABC) em prol da igualdade de gênero no ambiente científico. Na ocasião, sete jovens pesquisadoras de diferentes regiões do país receberam uma bolsa-auxílio no valor de R$ 50 mil cada uma para dar prosseguimento aos seus estudos.

A mestre de cerimônia, a jornalista Renata Capucci, abriu o evento apresentando a comissão julgadora e chamando ao palco An Verhulst-Santos, presidente da L’Oréal Brasil. Em seu discurso, a executiva destacou a importância do prêmio na promoção da igualdade de gênero no ambiente científico. “As mulheres representam apenas 30% dos pesquisadores em todo o mundo. Não queremos uma sociedade na qual desigualdades de gênero são reproduzidas, reforçadas e perpetuadas. Por isso, temos muito orgulho de poder dar mais visibilidade às mulheres na ciência brasileira”, disse.

Para o coordenador interino de Ciências Naturais da UNESCO no Brasil, Fábio Eon, a organização “sempre pautou sua ação no campo das ciências em dois objetivos: a busca do progresso científico como um direito humano. O que está muito evidenciado no artigo 27 da Declaração Universal dos Direitos Humanos que esse ano completa 70 anos. E na redução dos hiatos e assimetrias entre homens e mulheres nas ciências. Essa tem sido grande a bandeira da UNESCO no tocante ao direito ao progresso científico para ‘TODOS’ e ‘TODAS’ Segundo Fábio, “falar de mulheres na ciência em pleno século XXI não é mais apenas um imperativo ético, mas sim um imperativo de desenvolvimento. “

O presidente da Academia Brasileira de Ciências (ABC), Luiz Davidovich, ressaltou o caráter inspirador da premiação: “De fato, esse prêmio é simbólico. Ele realmente motiva as meninas que estão no ensino fundamental e no ensino médio a começar a pensar em ciência. Aponta um caminho para as mulheres, e para as meninas que ainda não decidiram o que vão fazer.” Para o professor, o prêmio vai contra estereótipos e contra uma cultura que separa as pessoas de acordo com o gênero. “No mundo contemporâneo, não há mais razão para as mulheres não fazerem ciência tanto quanto os homens”, completou Davidovich.

Anualmente, são escolhidas pesquisas das áreas de Ciências da Vida, Química, Matemática e Física com potencial de encontrar soluções para importantes questões ambientais, econômicas e de saúde. A avaliação também considera a trajetória profissional das candidatas em suas áreas de atuação.



As sete cientistas vencedoras deste ano foram: Fernanda Cruz, do Rio de Janeiro; Sabrina Lisboa e Luciana Lomonaco, de São Paulo; Angélica Vieira e Jaqueline Soares, de Minas Gerais; Ethel Wilhelm, do Rio Grande do Sul e Nathalia Lima, de Pernambuco.


Elas foram escolhidas por um júri acadêmico formado por integrantes da ABC, da Unesco e da L´Oréal, que selecionaram sete pesquisas científicas entre os 524 trabalhos inscritos nesta edição do Prêmio. Saiba mais sobre as premiadas.

Representando todas as vencedoras, a cientista gaúcha Ethel falou da importância desse reconhecimento para as mulheres cientistas. “Parece que vivemos todos os dias na invisibilidade e esse prêmio fez com que nos sentíssemos especiais, iluminadas e empoderadas. Trouxe à tona aquela sensação de que ainda vale à pena fazermos ciência apesar de todos os obstáculos”, discursou. .

Há 13 anos, o “Para Mulheres na Ciência” ajuda no prosseguimento de pesquisas, promove a participação das mulheres no ambiente científico e contribui para que a ciência brasileira ganhe destaque. A edição 2018 bateu recorde de participação: ao todo, foram registradas 524 inscrições, 34% a mais que em 2017.

Saiba mais sobre o L’Oréal/UNESCO/ABC Para Mulheres na Ciência em Facebook: www.facebook/paramulheresnaciencia, Twitter: @mulhernaciencia e no site Oficial: www.paramulheresnaciencia.com.br.

ASCOM - ABC. Posted: Out 05, 2018.



<< voltar para novidades

 © 2001-2019 LQES - lqes@iqm.unicamp.br sobre o lqes | políticas | link o lqes | divulgação | fale conosco