Laboratório de Química do Estado Sólido
 LQES NEWS  portfólio  em pauta | pontos de vista | vivência lqes | lqes cultural | lqes responde 
 o laboratório | projetos e pesquisa | bibliotecas lqes | publicações e teses | serviços técno-científicos | alunos e alumni 

LQES
lqes news
novidades de C&T&I e do LQES

2017

2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

2009

2008

2007

2006

2005

2004

2003

2002

2001

LQES News anteriores

em foco

hot temas

 
NOVIDADES

Agências reguladoras vistas como despreparadas para nanotecnologia.

Três grupos de stakeholders (partes interessadas) concordam que os reguladores não estão adequadamente preparados para gerir os riscos resultantes das nanotecnologias, conforme artigo publicado na revista Plos One.

Em uma pesquisa envolvendo nanocientistas e engenheiros, cientistas de saúde e de segurança nano-ambientais e os reguladores, pesquisadores do Center for Nanotechnology in Society da University of California, Santa Barbara CNS, (EUA) e a University of British Columbia (Canadá) verificaram que aqueles que percebem os riscos colocados pela nanotecnologia como "romance" estão mais inclinados a acreditar que os reguladores não estão preparados.

Representantes dos próprios órgãos reguladores sentiram mais fortemente que este era o caso. "As pessoas responsáveis por regulação são as mais céticas sobre sua habilidade para regular," disse a diretora do CNS e co-autora do trabalho Barbara Herr Harthorn. "A mensagem é essencialmente esta," disse o primeiro autor, Christian Beaudrie, do Institute for Resources, Environment and Sustainability da British Columbia, "quanto mais os riscos são vistos como novos, menos confiança demonstram os entrevistados nos mecanismos de regulação. Isto é, os reguladores não têm ferramentas para fazer adequadamente o trabalho."



Artigo de impacto sobre os riscos da nanotecnologia

Créditos: PLOS ONE


"Os autores acreditam também que quando os entrevistados sugeriram que mais grupos de partes interessadas precisam compartilhar a responsabilidade de se preparar para as potenciais conseqüências das nanotecnologias, isso indicava uma maior "percepção da magnitude ou complexidade do desafio de se administrar o risco." Logo, eles afirmam, não apenas que os reguladores se sentem despreparados, mas também que eles precisam do input de "uma ampla gama de experts ao longo do ciclo de vida do nanomaterial." Estes incluem cientistas de laboratório, empresários, organizações não-governamentais de saúde e ambientais (ONGs) e agências governamentais.

O artigo "Expert Views on Regulatory Preparedness for Managing the Risks of Nanotechnologies" pode ser lido acessando o site do periódico Plos One, clicando aqui.

University of California - Santa Barbara (Tradução - MIA).


Nota do Manager Editor - Esta matéria foi primeiramente veiculada no Boletim Em Foco Nano, Edição XVIII, janeiro de 2014 (http://www.abdi.com.br/).


<< voltar para novidades

 © 2001-2017 LQES - lqes@iqm.unicamp.br sobre o lqes | políticas | link o lqes | divulgação | fale conosco