Laboratório de Química do Estado Sólido
 LQES NEWS  portfólio  em pauta | pontos de vista | vivência lqes | lqes cultural | lqes responde 
 o laboratório | projetos e pesquisa | bibliotecas lqes | publicações e teses | serviços técno-científicos | alunos e alumni 

LQES
lqes news
novidades de C&T&I e do LQES

2010

2009

2008

2007

2006

2005

2004

2003

2002

2001

LQES News anteriores

em foco

hot temas
 
NOVIDADES

Corpo humano e nanopartículas : influência e efeitos.

A Nanotecnologia é, sem dúvida, a bola da vez. E uma bola que veio para ficar, ninguém duvida disso. É de tal magnitude a revolução que vem causando nas mais diferentes áreas, que muitos estão de orelha em pé e já se começa a pensar na influência dos nanomateriais sobre a saúde: positiva?, negativa?, depende do caso? Fato é que a pesquisa sobre os efeitos das nanopartículas está apenas começando.

Tanto é assim, que o Ministério do Meio Ambiente do Japão, através do NIES - Instituto Nacional para Estudos Ambientais, acaba de confiar um projeto sobre o assunto a M. Kobayashi, que irá pesquisar sobre a influência das nanopartículas contidas no gás dos escapamentos de veículos. O pesquisador já estuda a influência, sobre o corpo humano, de partículas emitidas pelos motores a diesel.

O projeto deverá ser desenvolvido em 5 anos e Kobayashi começará pesquisas sobre a influência do TiO2 e de nanotubos de carbono, fulerenos, etc. Os trabalhos de construção de um novo edifício destinado à experimentação sobre os efeitos das nanopartículas estão em andamento, devendo ser concluídos em 2005.

As dimensões das partículas contidas nos gases de escapamento dos motores a diesel estão distribuídas entre 100 e 300 nm. A redução das quantidades de partículas compreendidas dentro desta faixa está na mira do Ministério do Meio Ambiente, que objetiva a regulamentação e o desenvolvimento técnico atuais.

Tanto o Ministério como o setor automobilístico e o de combustíveis, depois de evidenciada a influência das nanopartículas sobre o corpo humano, estudarão a necessidade de regulamentar sua emissão e de desenvolver técnicas de emissão.

Ao que tudo indica, os estudos deverão estender-se em outras direções, pois, conforme M. Kobayashi, alguns pesquisadores relatam que as nanopartículas emitidas por uma frigideira nova, revestida com teflon, e também aquelas produzidas quando do revestimento dos esquis, de inocentes não têm nada, pois podem ter um efeito desastroso sobre o corpo humano.

As partículas de TiO2, apenas para citar um exemplo, eram até agora consideradas como sendo anódinas. Contudo, aquelas de 50 nm de diâmetro, quando administradas nos pulmões de um animal provocam - e mais facilmente que as de 250 nm de diâmetro -, uma diminuição sensível do número de neutrófilos polinucleares, ocasionando uma inflamação pulmonar. Outros estudos ainda apontam para o fato de as mesmas permanecerem facilmente nos pulmões e se deslocarem para o gânglio linfático, o fígado e o cérebro.

Os nanotubos de carbono e os fulerenos, exemplifica M. Kobayashi, em razão de terem suas extremidades fechadas, são quimicamente estáveis. Se os mesmos são tóxicos, isso poderá estar relacionado à influência de impurezas, tais como as partículas metálicas de catalisador, utilizadas quando de sua fabricação.

Nikkeinanotech, February 2, 2004. (Tradução/Texto - MIA)


<< voltar para novidades

 © 2001-2017 LQES - lqes@iqm.unicamp.br sobre o lqes | políticas | link o lqes | divulgação | fale conosco