Laboratório de Química do Estado Sólido
 LQES NEWS  portfólio  em pauta | pontos de vista | vivência lqes | lqes cultural | lqes responde 
 o laboratório | projetos e pesquisa | bibliotecas lqes | publicações e teses | serviços técno-científicos | alunos e alumni 

LQES
lqes news
novidades de C&T&I e do LQES

2019

2018

2017

2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

2009

2008

2007

2006

2005

2004

2003

2002

2001

LQES News anteriores

em foco

hot temas

 
NOVIDADES

Proposta destina 5% da receita corrente da União para ciência e tecnologia.

Tramita na Câmara a Proposta de Emenda à Constituição 359/17, do deputado Roberto Freire (PPS-SP), que obriga a destinação de, no mínimo, 5% da receita corrente da União ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e à Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). Esse valor deverá ser calculado depois de excluir os repasses constitucionais para estados e municípios.

Pela proposta, o recurso deverá ser usado para aplicação em custeio e capital, exclusivamente voltada ao desenvolvimento científico e tecnológico e inovação. A renda deverá ser transferida mensalmente, a partir do cálculo da arrecadação do mês anterior.

Esses 5% das receitas correntes da União devem chegar a pouco mais de 1% do Produto Interno Bruto (PIB), de acordo com cálculos do autor. “Embora amenize o cenário atual, nossa proposta ainda deixará o Brasil em posição inferior à da União Europeia que assegura 3% do PIB às áreas”, disse Freire.

Em março de 2017, o governo anunciou corte de 44% no orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC), reduzindo o investimento de R$ 5,8 bilhões para R$ 3,2 bilhões. “Trata-se do menor valor disponibilizado para a área científica e tecnológica nos últimos 12 anos”, disse Freire.

De acordo com Freire, o corte deixa de atrair pesquisadores e acelera a “fuga de cérebros” – saída de cientistas do País. As transferências mensais, segundo Freire, vão evitar a possibilidade de contingenciamento.


Tramitação

A proposta será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) quanto à sua admissibilidade. Se aprovada, será examinada por uma comissão especial criada exclusivamente para analisar o mérito da PEC. Depois, seguirá para votação em dois turnos no Plenário da Câmara.

Agência Câmara de Notícias. Posted: Fev 05, 2018.



<< voltar para novidades

 © 2001-2019 LQES - lqes@iqm.unicamp.br sobre o lqes | políticas | link o lqes | divulgação | fale conosco