Laboratório de Química do Estado Sólido
 LQES NEWS  portfólio  em pauta | pontos de vista | vivência lqes | lqes cultural | lqes responde 
 o laboratório | projetos e pesquisa | bibliotecas lqes | publicações e teses | serviços técno-científicos | alunos e alumni 

LQES
lqes news
novidades de C&T&I e do LQES

2019

2018

2017

2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

2009

2008

2007

2006

2005

2004

2003

2002

2001

LQES News anteriores

em foco

hot temas

 
NOVIDADES

Brasil atinge 1 GW em energia solar.

A produção de energia solar fotovoltaica brasileira acaba de ultrapassar 1 gigawatt segundo a Absolar, entidade que reúne o ecossistema do setor. Agora, o país está entre os 30 no mundo com uma geração acima de 1 GW. Traduzindo para a realidade, a produção de 1 GW é suficiente para abastecer 500 mil residências ou aproximadamente o consumo de 2 milhões de brasileiros. Na avaliação do presidente da Absolar, Rodrigo Sauaia, o primeiro gigawatt solar fotovoltaico é resultado do forte crescimento dos mercados de geração centralizada e geração distribuída solar fotovoltaica no ano de 2017.



Dispositivo solar fotovoltaico

Créditos: InfraRoi


“Na geração centralizada, contamos com a inauguração de grandes usinas solares fotovoltaicas contratadas pelo governo federal em leilões de energia elétrica realizados em 2014 e 2015”, afirma Sauaia. Segundo ele, as usinas em funcionamento estão localizadas principalmente nos estados da Bahia, Piauí, Minas Gerais, Rio Grande do Norte e Pernambuco e representam uma potência total de 0,935 GW.

Ainda de acordo com a entidade, houve um forte crescimento no uso pela população, empresas e governos de sistemas fotovoltaicos em residências, comércios, indústrias, prédios públicos e na zona rural, em todas as regiões do país, resultando em uma potência total de 0,164 GW. A soma dos dois segmentos – centralizada e distribuída – levou o Brasil ao patamar de 1,1 GW operacionais.

Apesar do avanço, Sauaia destaca que o Brasil ainda continua abaixo do seu potencial. “O Brasil está mais de 15 anos atrasado no uso da energia solar fotovoltaica. Temos condições de ficar entre os principais países do mundo neste mercado, assim como já somos em energia hidrelétrica, biomassa e eólica”, avalia. A sugestão do executivo é a de que o Brasil adote um programa nacional estruturado para acelerar o desenvolvimento da energia solar fotovoltaica.

InfraRoi. Posted: Jan 09, 2018.


Nota do Manager Editor: A ilustração apresentada não consta da matéria original e foi destacada pela editoria do Boletim.



<< voltar para novidades

 © 2001-2019 LQES - lqes@iqm.unicamp.br sobre o lqes | políticas | link o lqes | divulgação | fale conosco