Laboratório de Química do Estado Sólido
 LQES NEWS  portfólio  em pauta | pontos de vista | vivência lqes | lqes cultural | lqes responde 
 o laboratório | projetos e pesquisa | bibliotecas lqes | publicações e teses | serviços técno-científicos | alunos e alumni 

LQES
lqes news
novidades de C&T&I e do LQES

2017

2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

2009

2008

2007

2006

2005

2004

2003

2002

2001

LQES News anteriores

em foco

hot temas

 
NOVIDADES

Nanosafe : uma ampla janela para discussão dos riscos das nanotecnologias.

Nanosafe 2014


O evento NanoSafe 2014 - 4th International Conference on Safe Production and Use of Nanomaterials, trata-se de um dos mais importantes eventos totalmente consagrados às questões da nanosegurança. Desde sua primeira versão, em 2008, o evento é realizado na cidade de Grenoble, França, nas instalações da Maison Minatec. Neste ano foi realizado no período de 18-20 de novembro.
Na edição 2014 participaram mais de 300 pesquisadores de 30 países e 4 continentes. Foram apresentadas 160 comunicações orais, 86 posters, além de 12 expositores (empresas e organizações relacionadas com o tema nanotecnologia).
Desde sua primeira versão o evento NanoSafe procurou levantar todos os temas ligados à nanosegurança dos nanomateriais através de diferentes sessões, aqui elencadas:

  • Novas aplicações de nanomateriais;

  • Exposição: métodos e estratégias; liberação, estudo de casos;

  • Detecção, Caracterização e Instrumentação;

  • Toxicologia: estudos envolvendo trato respiratório; nanomateriais baseados em carbono (estudos in vitro e in vivo); testes com células livres in vitro; correlação envolvendo células; células livres e estudos in vitro; uptake celular, dosimetria, distribuição e potencial oxidativo; cérebro e pele como alvos e modelagem biocinética;

  • Interações de nanomateriais com o meio ambiente;

  • Liberação de nanomateriais: liberação por efeitos mecânicos; liberação por lavagem-lixiviação, fogo e fim de ciclo de vida; liberação devido ao envelhecimento e clima;

  • Produção industrial e prevenção;

  • Equipamentos de segurança, proteção coletiva e individual;

  • Análise de ciclo de vida;

  • Regulação e padronização;

  • Equipamentos comerciais;

  • Avaliação de riscos;

  • Desenvolvimento responsável.

É importante destacar que na versão 2014 duas novas sessões foram introduzidas: Novas aplicações de nanomateriais e Desenvolvimento responsável.


Participação brasileira

A participação brasileira se deu na forma de comunicações orais e posters. Foram apresentados os seguintes trabalhos:

1. In vivo study of novel nanocomposite for prostate cancer treatment
Camila Silveira, A. J. Paula, L. M. Apolinário, W. J. Fávaro, N. Durán (Chemistry Institute, UNICAMP);

2. Preparation, characterization and tests of incorporation in stem cells of superparamagnetic iron oxide
Haddad Paula, T. N. Britos, L. Min Li, L. D´Souza Li (Exact and Earth Sciences Department, Universidade Federal de São Paulo);

3. Interlab study on nanotoxicology of representative graphene oxide
Nelson Duran, D. S. T. Martinez, G. Z. Justo, R. de Lima, V. Lúcia de Castro, G. A. Umbuzeiro, E. Barbieri, M. Durán, P. S. Melo, O. L. Alves, W. J. Fávaro (Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP/NanoBioss);

4. Evaluation of the effects of nitric oxide-releasing nanoparticles on plants
A. B. Seabra, Anderson E.S. Pereira, A. M. Narciso, L. F. Fraceto (Chemistry Institute, UNICAMP);

5. Evaluation of the behaviour of some sulphonylhydrazone and n-acylhydrazone derivatives as drug delivering systems for the treatment of diabetes mellitus type 2 and cancer
F. F. Furlan, A. Laura Ibiapino, L. Pires de Figueiredo, F. Nascimento Costa, E. J. Barreiro, L. Moreira Lima, D. Nascimento do Amaral (Center of Natural and Human Sciences, CCNH, Federal University of ABC UFABC);

6. Nitric oxide-releasing polymeric nanoparticles against trypanosoma cruzi
Amedea Seabra, N. A. Kitice, C. A. C. Lancheros, S. F. Yamada-Ogatta (Universidade Federal de São Paulo, Exact and Earth Sciences Departament);

7. Graphene oxide sheets-based platform for induced pluripotent stem cells culture: toxicity, adherence, growth and application
Nelson Duran, M. Durán, P. F. Andrade, A. C. M. Luzo, W. J. Fávaro (NanoBioss, UNICAMP, Brazil), (Biol. Chem. Lab. UNICAMP);

8. Syntesis, characterization and citotoxicity evaluation of nitric oxide-iron oxide magnetic nanoparticles
Paula Silvia Haddad, T. N. Britos, M. C. Santos, A. B. Seabra, M. V. Palladino, G. Z. Justo (Exact and Earth Sciences Department, Universidade Federal de São Paulo);

9. In vivo nanotoxicology of hybrid systems based on copolymer/silica nanoparticles/anticancer drug
Camila P. Silveira, A. J. Paula, L. M. Apolinário, W. J. Fávaro, N. Durán (Chemistry Institute, Universidade Estadual de Campinas UNICAMP);

10. Carbon nanotubes enhanced the lead toxicity on the freshwater fish: histopathological effects in the gills
Diego Stéfani T. Martinez, J. Campos-Garcia, K. F. O. Rezende, J. R. M. C. Silva, O. L. Alves and E. Barbieri (LNNano - Brazilian Nanotechnology National Laboratory, CNPEM - Center on Research in Energy and Materials), Instituto de Pesca Cananéia, (Secretaria da Agricultura de SP), and Universidade Estadual de Campinas-NanoBioss;

11. Lichens as biomonitors of cnt aerossols: a possibility?
Camila de Oliveira Viana, A. Pinheiro Santos, L. O. Ladeira, A. Correa Junior (Departamento de Microbiologia, Universidade Federal de Minas Gerais);

12. Interaction of carbon nanotube and cellulose nanofiber with algal cells klebsormidium flaccidum
M. M. Pereira, L. Mouton, C. Yéprémian, A. Couté, J. Lo, J. M. Marconcini, L. O. Ladeira, N. RB Raposo, H. M. Brandão and Roberta Brayner (UFJF);

13. Nanotechnology regulation: multilateral initiatives for a responsible and beneficial development of nanoproducts
Pedro Canisio Binsfeld (Brazilian Health Surveillance Agency, ANVISA).

14. Risk assessment of nanocarbons: use the analytical hierachy process and control banding aproach on safety management of carbon nanomaterials Guilherme Frederico Bernardo Lenz e Silva and Robert Hurt (USP - Dept. of Metallurgy & Materials Engineering), Brown University - School of Engineering, Institute for Molecular and Nanoscale Innovation), USA.



Alguns dos participantes brasileiros no NanoSafe 2014. Da esquerda para direita: Guilherme Lenz, Nelson Durán, Oswaldo Alves, Fábio Furlan, Paula Haddad, Amedea Seabra e Camila Silveira.

Créditos: LQES


Alguns destaques: Regulação e padronização

Relativamente à questão da Regulação e padronização, que como sabemos são pontos cruciais para o desenvolvimento comercial da Nanotecnologia, as discussões estiveram centradas nas Perspectivas da regulação.

O tema foi colocado dentro de perspectiva da Comissão Europeia tendo como base a Estratégia Europeia para as Nanotecnologias que está baseada no trinômio segurança, integração e responsabilidade. Um dos blocos de construção deste trinômio passa pela Padronização (regulação soft). O Parlamento Europeu também tem destacado a importância da Padronização como meio para acompanhar a introdução no mercado de nanotecnologias e nanomateriais, avaliando que tal situação facilitará a implementação da regulação hard. O comentário feito é que as políticas, em diferentes níveis, estão sendo implementadas. Mais e mais regulações sobre "nanomateriais" específicos estão sendo implementados em nível nacional (Bélgica, França, Dinamarca...) e no nível europeu (Reach, Alimentos, Cosméticos) visando proteger os consumidores, cidadãos e meio ambiente das incertezas ligadas à avaliação de risco e avaliação da segurança dos nanomateriais.

Foi apresentada de forma mais específica a questão de nanomateriais em alimentos, dentro de uma perspectiva corrente e futura das suas aplicações e as questões ligadas aos aspectos regulatórios. Outro tema específico tratado foi a questão dos materiais a base de sílica dada as diferentes formas que estes nanomateriais podem se apresentar em suas diferentes aplicações e formulações.

Outro aspecto tratado esteve ligado á questão da Padronização da nanotecnologia em termos Internacionais e no âmbito da Comunidade Europeia. Na verdade, a questão está ligada a outra questão não menos importante, ou seja: Como a Padronização poderia ajudar a indústria e os reguladores a desenvolver nanoprodutos seguros? A resposta a esta questão está totalmente aberta.

Resumindo, grande parte das discussões que se seguiram estavam no campo da Padronização. Entretanto, sabemos que a própria natureza dos nanomateriais torna este tema de uma altíssima dificuldade, dada a não-homogeneidade (quase intrínseca) dos nanomateriais. Acreditamos que será necessário o desenvolvimento, não só de novos métodos, como também, de novos equipamentos para ultrapassar estas dificuldades e, posteriormente, chegarmos as validações. Efetivamente, a questão da regulação das nanotecnologias, além dos aspectos ligados à comercialização das nanotecnologias, a nosso ver, abre amplas perspectivas para pesquisa científica e enormes possibilidades de gerar ciência nova.

É importante mencionar, no tocante aos expositores, que várias empresas já oferecem equipamentos portáteis que permitem o monitoramento da presença de nanopartículas em ambientes, tais como, laboratórios, instalações industriais, construção, etc.

Informações complementares sobre o evento podem ser obtidas no link http://www.nanosafe.org/.


Nota do Managing Editor - Esta matéria foi realizada pelo Prof. Oswaldo Luiz Alves para a Revista Fapesp, para complementar pauta que estava sendo finalizada em sua Editoria.


<< voltar para novidades

 © 2001-2017 LQES - lqes@iqm.unicamp.br sobre o lqes | políticas | link o lqes | divulgação | fale conosco