Laboratório de Química do Estado Sólido
 LQES NEWS  portfólio  em pauta | pontos de vista | vivência lqes | lqes cultural | lqes responde 
 o laboratório | projetos e pesquisa | bibliotecas lqes | publicações e teses | serviços técno-científicos | alunos e alumni 

LQES
lqes news
novidades de C&T&I e do LQES

2017

2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

2009

2008

2007

2006

2005

2004

2003

2002

2001

LQES News anteriores

em foco

hot temas

 
NOVIDADES

Nanotoxicologia, perigos ainda desconhecidos.

A utilização de nanomateriais está, cada vez mais, distribuída nos meios industriais e de pesquisa. Tratamentos médicos mais eficazes e menores efeitos colaterais, despoluição dos solos e águas subterrâneas, etc. As aplicações das nano parecem também tão promissoras quanto infinitas. Mas, o que realmente se sabe sobre os riscos ligados à sua utilização? Não grande coisa, ainda!

"Apesar de importantes orçamentos e esforços consagrados praticamente por todo o mundo, explica o Professor Dominique Lison, do Louvain Centre for Toxicology and Applied Pharmacology, temos a impressão de não saber muito sobre os perigos e os riscos dos nanomateriais. Eis porque queremos objetivar esta impressão". A pós-graduanda Françoise Schrurs se dedicou a isto em sua Tese de Mestrado em Medicina do Trabalho. Ela quis objetivar este déficit e, assim, sublinhar a necessidade de focalizar esforços de pesquisa para melhor apreender os riscos e perigos das nanos.

Para sua análise, a estudante selecionou 38 trabalhos científicos consagrados às nanosílicas (um grupo de nanomateriais). Tentou ver se, para 6 questões de base (por exemplo: O tamanho nanométrico representa um maior perigo?), era possível tirar conclusões integrando as informações de todas estas publicações. Resultados? Impossível comparar os diferentes estudos entre si, assim como os métodos, os materiais e o vocabulário utilizados. Uma avaliação dos riscos é, por conseguinte, impossível com a base de dados publicados atualmente.



Nanopartículas de sílica


Créditos: Cheng-Shane Chu.


Sua recomendação? Agir de acordo com as regras aplicadas em toxicologia convencional para, assim, colocar ordem no modo como os estudos são conduzidos. "Muitos cientistas que estudam nanomateriais normalmente não têm formação de base em toxicologia, confirma o professor Lison. Seria necessário, portanto, poder voltar aos fundamentos da disciplina, aplicar as boas práticas e, sobretudo, dispor de uma agenda estratégica, validada por todos os intervenientes (pesquisadores, industriais, instâncias reguladoras). É por isso que, neste estudo, pleiteamos para que uma conferência internacional de consenso seja configurada, a fim de esclarecer os procedimentos, fazer as regras, as normas... e convidamos os industriais, os editores de revistas científicas, assim como os pesquisadores a aplicar um tal procedimento".

Os resultados desta pesquisa acabam de ser publicados na revista Nature Nanotechnology (fator de impacto 27.270). "Realmente não é frequente que o material de um estudante seja publicado neste tipo de publicação de prestígio", congratulou-se seu professor.

Communiqués de Presse. Université Catholic de Louvain (Tradução - MIA).


Nota do Scientific Editor - O trabalho "Focusing the research efforts", que deu origem a esta notícia, é de autoria de F. Schrurs e D. Lison, tendo sido publicado na revista Nature Nanotechnology, volume 7, págs.546-548, (2012), DOI: 10.1038/nnano.2012.148.


Assuntos Conexos:

Nanoriscos.


<< voltar para novidades

 © 2001-2017 LQES - lqes@iqm.unicamp.br sobre o lqes | políticas | link o lqes | divulgação | fale conosco