Laboratório de Química do Estado Sólido
 LQES NEWS  portfólio  em pauta | pontos de vista | vivência lqes | lqes cultural | lqes responde 
 o laboratório | projetos e pesquisa | bibliotecas lqes | publicações e teses | serviços técno-científicos | alunos e alumni 

LQES
lqes news
novidades de C&T&I e do LQES

2010

2009

2008

2007

2006

2005

2004

2003

2002

2001

LQES News anteriores

em foco

hot temas
 
NOVIDADES

Primeiro Congresso Internacional sobre Nanotoxicologia.

As aplicações da nanotecnologia não param de se estender a novas áreas, enquanto os conhecimentos sobre seus eventuais efeitos indesejáveis avançam lentamente. A pesquisa sobre os efeitos biológicos dessas minúsculas partículas e sobre suas conseqüências para o meio ambiente não é nem de longe tão intensiva quanto aquela sobre suas novas aplicações. É exatamente para minimizar um pouco esse atraso que pesquisadores do primeiro time na área da nanotoxicologia se reuniram de 07 a 10 de setembro, em Zurique. O convite ao congresso "Nanotox 2008", o primeiro grande congresso internacional na Europa consagrado exclusivamente aos efeitos biológicos das nanopartículas e dos nanomateriais foi lançado pela Empa (Laboratório de Ensaios e Pesquisa de Materiais), em colaboração com a EPF (Escola Politécnica Federal), de Zurique, Suíça, e a Universidade de Berna, do mesmo País.

"Para uma aplicação responsável da nanotecnologia, precisamos conhecer seus efeitos biológicos", explica Harald Krug, que dirige o laboratório de "Materials-Biology Interactions", da Empa, e que organizou o congresso "Nanotox 2008". Vários formadores de opinião não deram senão pouquíssima importância à pesquisa sobre nanoriscos. Krug teme que isso, um dia, conduza a que o entusiasmo pela nanotecnologia venha a se tornar um medo em face da mesma. "Deixaremos passar a chance histórica de uma revolução técnica se não estudarmos intensamente os aspectos negativos dessa nova tecnologia. Ela se beneficiará de uma ampla aceitação, com a condição de que levemos uma discussão aberta com os tomadores de decisão e o grande público - e isto também sobre seus riscos."

É ao estabelecimento de tal diálogo aberto e objetivo que esse congresso deve contribuir. O eco que encontrou - muito tempo antes do encerramento das inscrições, 270 participantes de 29 países já se tinham anunciado - mostra bem a atualidade e urgência desse tema.





Nanotubo de carbono (Concepção artística.)

Créditos: ISTOCKPHOTO



As apresentações científicas do "Nanotox 2008" trataram das propriedades particulares e dos efeitos biológicos das nanopartículas, bem como dos diferentes "cenários de exposição", seja da extensão da exposição de pessoas às nanopartículas em seu local de trabalho ou no meio ambiente. Entre outros temas em destaque, devem ser citados os efeitos das nanopartículas nos pulmões e também as questões da eventualidade de sua ação sobre o patrimônio genético humano e modalidades de reação de nosso sistema imunológico a esses minúsculos invasores. Na forma de pôsteres, 125 cientistas apresentaram os resultados de seus trabalhos de pesquisa. Foram premiados os cinco melhores trabalhos.


Memento

Pesquisadores lançam aliança para a criação de padrões unificados na pesquisa sobre os riscos.


O congresso "Nanotox 2008" marcou também um grande avanço na fixação de padrões de pesquisa unificados. Durante sua realização foi fundada a "International Alliance for NanoEHS Harmonization" (IANH), onde EHS significa "Environment, Health and Safety". Assim, um grupo de experts deseja assumir papel pioneiro na elaboração de padrões e de protocolos de pesquisa unificados para o estudo dos nanoriscos a fim de assegurar a confiabilidade e a reprodutibilidade das experiências. A falta de padrões de harmonização é atualmente ainda um grande problema na avaliação dos riscos.

Empa (http://www.empa.ch), consultado em 15 de Setembro de 2008 (Tradução - MIA).


<< voltar para novidades

 © 2001-2017 LQES - lqes@iqm.unicamp.br sobre o lqes | políticas | link o lqes | divulgação | fale conosco